Regiões Turísticas

Ilha de São Luís
 

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player


Toada "São Luís - Belezas e Encantos" do Boi Mirantes da Ilha

O coração do Maranhão pulsa em belezas naturais, cultura riquíssima e muita história

A Ilha de São Luís (oficialmente ILHA DE UPAON-AÇU) localiza-se no meio do extenso litoral maranhense, entre duas grandes baías, no chamado Golfão Maranhense. São Luís é uma das três capitais brasileiras localizadas em uma ilha, sendo a única com área totalmente compreendida em uma ilha e a única do Nordeste. A grande ilha de aproximadamente 1.400km2 apresenta características diferentes de outras ilhas e áreas costeiras da região Nordeste. Seu clima tropical e úmido, suas extensas praias com águas turvas e grandes marés, alta pluviosidade, abundantes e extensos manguezais, juçarais (açaizais), buritizais, babaçuais, fragmentos de matas amazônicas e pré-amazônicas remanescentes e a  profusão de igarapés e rios provam que esta é uma ilha amazônica também, que marca o inicio da chamada Amazônia Atlântica ou Costeira. De fato, a Ilha é porta de entrada da Amazônia desde a época do sonhado projeto da França Equinocial (Equatorial), na fundação da cidade de São Luís. Por outro lado, a sua forte luminosidade, os ventos constantes, o período de estiagem pronunciado e a ocorrência de muitas dunas e espécies associadas aos cerrados, sertões e áreas de transição, acusam também a sua nordestinidade e evocam a sua transicionalidade. Esse caráter híbrido e as singularidades fazem desta ilha tropical brasileira um espaço geográfico e cultural único, sedutor, autêntico e com uma riqueza humana sem paralelo.

Encravada entre a Baía de São Marcos e a Baía de São José - formadas pelos estuários dos principais rios genuinamente maranhenses (Pindaré, Mearim, Itapecuru e Munim) - e banhada pelo Oceano Atlântico, o que a classifica como uma ilha fluviomarinha e costeira; é separada do continente por um estreito - o Estreito dos Mosquitos. A Ilha de São Luís tem 4 municípios. São Luís é o maior de todos e também é a capital do Maranhão. Descobrir a história de São Luís é se perder entre vielas, escadarias, praças, becos e se encantar com fontes, sacadas, mirantes, azulejos, igrejas, palácios e um casario que representam o maior acervo arquitetônico civil colonial e imperial de origem portuguesa de todo o mundo fora de Portugal, que entrou na seleta lista das cidades Patrimônio Mundial da UNESCO e foi tombado pelo Estado e pela União (IPHAN). Apesar da fundação francesa e da breve invasão holandesa, pouco guardou desses períodos e São Luís se tornou a cidade mais lusitana e ibérica das Américas, com alma e sabor bem brasileiros. São Luís é uma verdadeira "Lisboa tropical" e o uso ostensivo de azulejaria nas fachadas reforça esse forte vinculo com a ex-metrópole e dá à "Cidade dos Azulejos" um charme especial.  A capital já foi uma das 4 mais importantes cidades do Brasil Colonial e Imperial e cresceu e se desenvolveu com a exportação sobretudo de algodão, arroz e cana de açucar, virando um centro de ricos comerciantes e nobres que mandavam o seus filhos para estudar em Coimbra. Este auge econômico forçou a vinda de um grande contigente de negros africanos que - com a presença marcante dos indios nativos - formou,  junto aos brancos, uma intensa miscigenação sem precendentes que produziu este povo moreno, alegre e a cultura maranhense, reconhecida como uma das mais expressivas, autênticas e ricas do Brasil. São Luís, brasileiríssima como só ela, é - ao mesmo tempo - África e Portugal, Cabocla e Caribe, Nordeste e Amazônia. Nenhuma outra cidade do país é tão plural e única ao mesmo tempo.

MAPA TURÍSTICO DA ILHA DE SÃO LUÍS (PRAIAS, ATRATIVOS CULTURAIS, PARQUES AMBIENTAIS E UNIDADES DE CONSERVAÇÃO)

(AUTORIA: MARAMAZON)

Para além do belo centro histórico e seus interessantes museus e casas temáticas, a capital também é moderna e conta com todas as facilidades de estrutura e serviços de negócios e entretenimento que toda grande cidade possui, além de outros belos atrativos como sítios históricos, belas praias e áreas verdes.

O DNA 100% mestiço de São Luís é a principal vitrine para conhecer e vivenciar a rica e vibrante cultura maranhense, que transpira alegria, criatividade e muita brasilidade. O apreço às letras e à poesia faz parte desse DNA desde a época do ilustre poeta maranhense Gonçalves Dias. Palco do terceiro melhor carnaval de rua do país e dona dos melhores e maiores festejos juninos do Brasil, São Luís é a capital do folclore e do Bumba-meu-boi, manifestação herdada da miscigenação entre índios, negros e brancos e que aqui ganhou características próprias, um significado especial, uma riqueza musical, rítmica e artesanal e uma espetacularidade inigualável, tanto que foi reconhecido como Patrimônio Cultural do Brasil (veja mais em "cultura maranhense"). Merece destaque o Sotaque de Matraca (ou da Ilha), nascido aqui, que arrasa corações e arrasta multidões. Além do Bumba-Boi, a cidade ainda respira muitos outros folguedos, ritmos e festejos como o Tambor de Crioula (também Patrimônio Cultural do Brasil), Blocos Tradicionais do carnaval, Samba, Tribos de Índio, Tambor de Mina (religião afro-brasileira), Cacuriá, Divino Espírito Santo, festas e romarias de padroeiros, Dança Portuguesa, Dança do Lelê, Dança do Côco e tantos outros... - o ano inteiro. E o reggae, que chegou pra ficar, tornou a ilha em Jamaica Brasileira e é prova da proximidade e afinidade desta ilha com as do Caribe. A culinária que une sabores do norte e nordeste, mar e sertão, e outros que só tem aqui é um capítulo à parte, assim como o é o artesanato e as artes plásticas.

A ilha grande (Upaon-Açu dos Tupinambá) ainda comporta mais três municípios, cada um com suas peculiaridades. Do verde e bucólico Paço do Lumiar às praias e dunas da Raposa e à religiosidade, praias e manguezais de São José de Ribamar, a ilha mostra o seu lado mais rural e pitoresco.

Centro Histórico
Conhecer o Centro Histórico de São Luís por inteiro é tarefa para mais de três dias. O maior e mais homogêneo centro histórico do Brasil é para ser conhecido caminhando e sem pressa. Por outro lado, o supra-sumo do centro histórico está nos bairros e logradouros revitalizados da Praia Grande, Desterro, Av, Dom Pedro II, Praças João Lisboa e Gonçalves Dias, que podem ser desvendados em um dia. Além da contemplação, o centro histórico convida a visitar interessantes museus, casas temáticas, palácios, teatros, bares, restaurantes e centros culturais.

 

MAPA DO CENTRO HISTÓRICO DE SÃO LUÍS

Praias
Como não poderia deixar de ser numa ilha, o litoral é recheado de belas praias e extensos manguezais. As praias mais próximas do centro têm fácil acesso e estrutura de bares, restaurantes, pousadas, hotéis e as mais distantes têm pouca estrutura, mas são ainda mais bonitas - emolduradas por palmeiras de babaçu, matas, restingas, manguezais, dunas, coqueiros ou falésias e entrecortadas por riachos e alvos areais descobertos nas marés baixas. As praias da ilha fazem parte do litoral norte ou amazônico, têm águas geralmente turvas devido à quantidade de estuários e manguezais, mas podem apresentar uma coloração esverdeada e águas mais claras na temporada de estiagem e nos dias de marés de quarto-crescente e de quarto-minguante. A beleza tropical praiana de São Luís é diferente, exuberante e o mar geralmente morno, ideal para banhos.

Raposa – Belas Praias, Dunas, Ilhas e Manguezais
Notável município do norte da ilha reduto de pescadores e rendeiras é ponto de partida para explorar belas praias, ilhotas, dunas, restingas e manguezais. A saborosa culinária farta em frutos do mar é facilmente apreciada nos vários restaurantes da cidade.

São José de Ribamar – Cidade do Padroeiro do Maranhão
Segunda maior cidade da ilha e terra do padroeiro do Maranhão, São José de Ribamar se orgulha da sua basílica e de seus monumentos e atrativos religiosos, mas também das suas praias, dos seus festejos e da sua culinária.

Maracanã – Terra da Juçara (açaí)
Bairro tradicional do interior da ilha onde é possível fazer trilhas ecológicas guiadas dentro de juçarais (açaizais), matas em regeneração e conhecer de perto tudo relacionado ao açaí: desde a coleta até o preparo do vinho da juçara (ou açaí).

Piranhenga

Este sítio colonial próximo do centro histórico é um colírio para os olhos: uma capela revestida de azulejos em alto relevo, a casa grande, uma senzala, escadarias decoradas de azulejos, belos jardins, mirantes para o rio bacanga, trilhas ecológicas e até um mini zoológico é um ótimo complemento à visita ao centro histórico.

Estaleiro Escola
O Maranhão, que tem o segundo maior litoral do Brasil, é dono da maior variedade de embarcações artesanais, cujo conhecimento é repassado de geração a geração, pelos mestres da carpintaria naval. Este espaço foi criado para que este conhecimento não se perca e também é museu-vitrine de todas as embarcações das várias regiões do Estado.

Parques Ambientais

São Luís conta com algumas Unidades de Conservação, públicas e particulares, que reúnem amostras significativas da flora e fauna nativas da ilha. Alguns, como o Parque Botânico da Vale, a A.P.A do Itapiracó e o Parque Ambiental da Alumar, possuem estrutura para a visitação como trilhas interpretativas guiadas.

Para entender um pouco a alma da Ilha de São Luís, fazemos uma descrição dos seus principais cognomes:

Ilha do Bumba-meu-boi: a maior expressão cultural maranhense e da Ilha de São Luís é o Bumba-meu-boi, criado pela intensa miscigenação entre indios, negros e brancos do nosso povo.

Ilha do Amor: São Luís e o Maranhão é berço de grandes poetas românticos, como Gonçalves Dias

Cidade dos Azulejos: os azulejos são a marca registrada da cidade! Nenhuma outra cidade o usou e usa tanto quanto São Luís!

Upaon-Açu: o primeiro nome dado à ilha pelos indios Tupinambá os primeiros habitantes e significa "Ilha Grande". Hoje o nome "Ilha de Upaon-Açu" é o nome oficial da ilha.

Athenas Brasileira: a grande produção literária e poética da cidade foi e é outra marca registrada.

Jamaica Brasileira: a negritude e a afinidade geográfica e cultural da Ilha com o Caribe a tornou na capital brasileira do reggae.

Terra das Palmeiras: cognome extensivo a todo o Estado. O Maranhão, com toda a sua diversidade e exuberância natural, tropicalíssimo, é solo fértil para muitas palmeiras nativas, como o Babaçu (símbolo do estado), Juçara (Açai), Buriti, Tucum, Inajá (ou Anajá), Ariri, Carnaúba, etc.

Patrimônio Cultural da Humanidade: Na verdade, um título, dado pela UNESCO, por causa da extraordinária riqueza cultural de São Luís, incluindo as diversas tradições folclóricas e o enorme acervo arquitetônico colonial.



Guia Turístico do Reggae em São Luís

 

O IMPERDÍVEL:

  • Fazer um city tour completo e visitar os principais museus e atrativos no Centro  Histórico de São Luís em pelo menos 2 dias.
  • Conhecer e curtir as praias de São Luís
  • Brincar o São João e o Carnaval da Ilha
  • Comprar um livro de poesias e/ou literatura maranhenses
  • Ir a um bar/clube de Reggae
  • Ir a um ensaio de Bumba-meu-Boi
  • Entrar numa roda de Tambor de Crioula
  • Visitar um terreiro de Tambor de Mina
  • Curtir as noites de sexta-feira na Praia Grande (Centro Histórico)
  • Experimentar a gastronomia maranhense em vários restaurantes estrelados  especializados ou nas Barracas de Praia e nas 'Bases"
  • Fazer uma caminhada na Avenida Litorânea no final de tarde
  • Visitar o CEPRAMA – Centro de Artesanato do Maranhão
  • Ir à Praia do Araçagi
  • Conhecer os atrativos religiosos da cidade de São José de Ribamar
  • Conhecer as praias de São José de Ribamar
  • Fazer o passeio náutico na Raposa
  • Visitar os restaurantes da Raposa
  • Conhecer as trilhas e provar a juçara (açaí) no Maracanã
  • Visitar os Parques Ambientais: da Vale, Itapiracó, Alumar...
  • Fazer um passeio de catamarã pela orla
  • Curtir a vida noturna e cultural da capital

 

 

© MARAMAZON - Todos os direitos reservados